Rossi_Domenica_cfO nome Paolo Rossi lhe diz alguma coisa? Para quem nasceu lá pelo começo da década de 70 sabe muito bem que o atacante italiano foi responsável por uma das maiores tragédias do futebol brasileiro. Não é à toa que o jogo entre Brasil e Itália em 82 ficou conhecido por “A Tragédia de Sarriá”…

E quem se lembra de Joel Bats, goleiro da França na Copa de 86? Pois ele também escreveu o seu nome na história do futebol brasileiro por ter pego o pênalti de Zico no tempo normal das quartas de final entre brasileiros e franceses naquele Mundial. Não satisfeito, Bats ainda pegou o pênalti batido pelo Dr. Sócrates na disputa por pênaltis, depois de uma dramática prorrogação.

E o que eles tem em comum, exceto o fato de nos terem mandado para casa bem antes do esperado e nos feito chorar?

Ambos já deram seus pitacos e contribuições (algumas bem duvidosas) na música. A relação de 319_Solitude_Bats_cf.0917698djogadores-cantores é muito mais extensa do que poderíamos imaginar. E este minucioso trabalho, de separar os discos que tem algo a ver com futebol – seja um disco de músicas de cantos de torcida, de narrações, como o disco “50 Años de Maracaná”, ou de jogadores soltando o gogó – foi feito pelo site 45football.

O site relacionou uma enorme quantidade de discos “futebolísticos”, um repertório para todos os gostos. Desde o reggae de Gullit, até o famoso “Voa, Canarinho” do Junior, passando pelas marchinhas cantadas pelo atleta do século Pelé – atleta do século, não cantor do século, que não haja dúvidas aqui. Nem a parceria entre Raimundo Fágner e o galinho Zico foi deixada de lado pela preciosa lista de álbuns.

O que resta agora é tentar achar os discos na internet ou em brechós e sebos espalhados por aí e ver se o “Soli Solitud”, do Bats, é tão bom quanto suas defesas ou se o bambino d’ouro Paolo Rossi com o seu “Domenica alle tre” (“tre” quer dizer três, quantidade de gols que ele marcou no Brasil em 82.. será?) merece um Grammy.

Para comprovar que há talento nestes álbuns, deixamos aqui o reggae de Ruud Gullit, o camisa 10 da seleção holandesa e do Milan, final dos 80, começo dos 90 e a famosa “Voa Canarinho Voa” de Junior e cia.