As famosas “dancinhas” e coreografias dos jogadores brasileiros que atuam nas equipes europeias não são bem vistas por aqueles lados. E isso já faz um certo tempo.

Na goleada do Barcelona por 6 a 0 sobre o Rayo Vallecano, válida pelo Campeonato Espanhol, no dia 15 de fevereiro, o último gol foi marcado por Neymar, que não hesitou em realizar uma coreografia junto com seu compatriota Daniel Alves.

No mesmo dia, jornais espanhóis classificaram a comemoração como “um desrespeito ao adversário”. Estas críticas dos principais periódicos ecoaram por toda a Espanha e receberam um apoio de peso. O ex-técnico da seleção espanhola, Javier Clemente, também fez coro aos críticos e afirmou, de forma bem categórica e inflexível, que “Você leva um gol e os caras fazem uma idiotice dessas. Eu castigaria eles, daria cinco jogos de punição para cada um. Por que? Por fazerem idiotice”.

CLEMENTE-2

Na época que Guardiola ainda era treinador do Barcelona, o mesmo também não aprovava o comportamento dos brasileiros após marcarem um gol. Isso ficou evidente em 2012, quando Thiago Alcântara marcou pelo Campeonato Espanhol – curiosamente sobre o mesmo Rayo Vallecano – e iniciou uma coreografia com Daniel Alves, mas o capitão do Barça, Carlos Puyol, encerrou rapidamente o show particular da dupla. Pep Guardiola chegou a pedir desculpas aos adversários em entrevista coletiva logo após a partida.

Em jogo válido pela Champions League da última terça-feira, entre Barça e Manchester City, vitória de 2 a 0 dos espanhóis, o último gol foi anotado por Daniel Alves. Mal deu tempo de Dani e Neymar iniciarem a tal dancinha e ficou evidente que Lionel Messi chegou rapidamente para acabar com a “dança dos famosos”.

Os brasileiros terão que entender que, culturalmente, fazer suas danças e coreografias não são bem aceitas no futebol espanhol – talvez até no futebol europeu como um todo. Ou eles entendem que há barreiras entre as culturas – o que é legal aqui, pode não ser legal em outros cantos – ou as críticas continuarão a cair sobre a cabeça deles, ofuscando o brilho de suas atuações.

Assista no vídeo e tire suas próprias conclusões: Messi chega ou não para acabar com a festa?